EL VIAJANTE (Audiotour Escénico)
(O VIAJANTE – Audiotour Cênico)
(2009 – 2018)

 

Ele sabe.
Este é o fim, o último dia. Ele sonhou isso na noite passada e o sonho era claro: Este dia seria o último. O círculo se completou… Tudo o que faria, seria pela última vez…

Acompanhamos o VIAJANTE em seu último dia. Fomos convocados pela COMPANHIA. O fim está próximo. Um tornado ameaça a cidade. Mas vocês podem se salvar.

 

Um grupo de espectadores recebe um tocador de mp3 e fones de ouvido e segue um personagem em seu caminho pela cidade. O público escuta a voz de um narrador enigmático, que acompanha o percurso do personagem misterioso.

O Viajante é uma obra onde há um personagem principal que percorre uma cidade e interage com o espaço e com seus habitantes. Caminhando, um pequeno grupo do público segue as peripécias deste personagem escutando pelos fones de ouvido uma voz que narra sua história. Esta narração dá à obra uma aura literária e ao mesmo tempo nos introduz nos pensamentos do personagem e em seu clima sonoro. O conceito cênico busca fazer uma experiência com o relato cinematográfico em off sobre um personagem ficcional em um espaço urbano real tangível.

A cidade é o cenário desta experiência que foi realizada em quatro locais até o momento. A primeira foi com o título “Construindo João”, no Crato, Brasil (2009), com características completamente documentais; a segunda montagem foi feita em Berlim com o nome “Der Handlungsreisende” (O Viajante, 2010) e foi totalmente ficcional. Na terceira, em Sorocaba (Brasil, 2012), foram fundidos os dois elementos.
Em 2018 retomamos o projeto para apresentá-lo no Festival Sudaka, em Quito (Equador). Fizemos uma edição completamente nova, integrando elementos interativos para o público. Os espectadores recebem um papel com uma missão e têm que cumprir várias tarefas com o Viajante para chegar ao objetivo.

 

Este espetáculo foi apresentado em:
– Festival Sudaka 9, Quito (Ecuador). 2018.
– SESC Sorocaba, SP (Brasil). 2012.
– Festival 100°Berlin, no teatro HAU (Hebbel am Ufer), Berlim (Alemanha). 2010.
– Festival Mostra Sesc Cariri de Cultura, Crato, Ceará (Brasil). 2009.

 

FICHA TÉCNICA:

QUITO:
Conceito, dramaturgia e direção: Ariel Dávila + Christina Ruf (BiNeural-MonoKultur)
Design sonoro: Guillermo Ceballos
Voz: Gabriela Aguirre
Intérprete: Ariel Dávila
Assistente de produção: Sam Romero
Co-produção: BiNeural-MonoKultur y Festival Sudaka
Agradecimentos: Bar La Cucaya (Centro Cultural Cumandá)

SOROCABA:
Conceito, dramaturgia e direção: Ariel Dávila + Christina Ruf (BiNeural-MonoKultur)
Design sonoro: Guillermo Ceballos
Intérprete: Ieltxu Martínez Ortueta
Narrador: Gui Martelli Altmayer
Participação especial de: Wellington, Dona Isa e Seu Celso, Dona Cida, Seu Milton e Claudinei
Pesquisa: Felipe França Gonzalez e Jan Angelim
Tradução: Meire Nunes
Coprodução: BiNeural-MonoKultur, Difusa Fronte(i)ra e SESC Sorocaba

BERLIN:
Conceito, roteiro, objetos cênicos + dirección: Ariel Dávila + Christina Ruf (BiNeural-MonoKultur)
Design sonoro: Guillermo Ceballos
Intérprete: Frank Rebel
Narrador: Jochen Ganser

CRATO:
Conceito, dramaturgia e direção: Ariel Dávila + Christina Ruf (BiNeural-MonoKultur)
Intérprete: Joseph Olegario
Narrador: Geraldo Junior
Participação especial de: “Côca” do Socorro Silva, Samara Inácio, Silvania Siebra David, Jucilane Parente, Corrinha do Socorro Araújo, Marlene Freire Gonçalves dos Santos, José Alves
Com músicas de: Dr. Raiz, Teixerinha, Luiz Gonzaga, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Roberto Carlos, Guillermo Ceballos.
Edição de áudio: BiNeural-MonoKultur, Hélio Filho
Tradução: Felipe França Gonzalez e Meire Nunes
Produção geral e pesquisa: George Belisário
Assistente de produção: Alessandro Reinaldo
Coprodução: BiNeural-MonoKultur + Mostra SESC Cariri de Cultura

 

DURAÇÃO: 45 min. aprox.

Imprensa