AUDIOTOUR FICCIONAL
(2005 – 2018)

 

O projeto Audiotour Ficcional é uma experiência sonora individual onde a cidade é tomada como cenário para um percurso ficcional. Com um tocador de mp3 e fones de ouvido o espectador percorre sozinho as ruas de uma cidade escutando uma história que mescla ficção com fatos reais-históricos.

Por dia, milhões de pedestres transitam pelas ruas das cidades, cegos pelo seu próprio cotidiano. Edifícios, detalhes da cidade, pontos históricos, intervenções gráficas e até outros habitantes que dividem o mesmo espaço urbano são ignorados pelos transeuntes.
Voltar a prestar atenção aos detalhes ao nosso redor, valorizando a cidade não como continente de vidas atarefadas, mas como espaço em si, com sinais e particularidades que revelam e inspiram, que denunciam e transgridem, que mostram e desmentem.
É necessário romper com o olhar óbvio, com o trajeto habitual, com o pensamento alienado do dia-a-dia para repensar a cidade e apreciar seu patrimônio tangível e intangível.
É importante o papel do público que, de espectador passivo, passa a ser protagonista de sua própria aventura em um cenário urbano, com personagens (reais ou fictícios?) que também interferem no jogo.

Desde 2005 até o momento realizamos numerosas obras com o formato do Audiotour Ficcional. Cada realização é única, não transferível a outro lugar. Cada uma leva aproximadamente um mês de trabalho, conta com uma ampla pesquisa sobre o lugar da montagem, um roteiro próprio e uma própria trilha sonora.

 

Para conhecer as diferentes obras no formato do Audiotour Ficcional que foram produzidas em português, entre nos links:

O Homen do Chapéu. Festival de Inverno, SESC Santo André / Paranapiacaba, SP. (Brasil. 2018)

– “A Máquina do tempo”. Na programação social para o congreso internacional ICSEMIS + Mirada – Festival Ibero-Americano de Artes Cênicas. Santos, SP ( Brasil). 2016

“O Círculo mágico“. Sesc Jundiaí, SP (Brasil). 2016.

– Reedição de “operación 7.02” (operação 7.02) por ocasião do 10° aniversário, Festival Internacional de Teatro MERCOSUR. Córdoba (Argentina). 2015.

– “Território Ocupado”. Festival “Mês da Cultura Independente – MCI”. Prefeitura de São Paulo Cultura, SP (Brasil). 2014.

– “La Resistencia”. Em “Julio, Mes de Cultura” e “Bienal Internacional de Esculturas”, Resistencia, Chaco (Argentina). 2014.

Atualização e versão em tres línguas de “Entre Mundos“. VI Conferência Internacional de Educação Ambiental e Sustentabilidade “O Melhor de Ambos os Mundos”. Bertioga, SP (Brasil). 2014.

“À margem do rio”. Festival “Lugares da Memória”. SESC Piracicaba, Sao Pablo (Brasil). 2013.

“Meu nome é Vera”, Centro Cultural da Juventude CCJ, São Pablo (Brasil). 2012.

“Seguindo o caminho dos quatro elementos”, SESC Sorocaba, SP (Brasil). 2012.

– “Los Filántropos” (Os Filántropos), Festival de Teatro de Rafaela, Santa Fe (Argentina). 2011.

“Pio Lourenço – O rastro das palavras”, Mostra Infinito Interior, SESC Araraquara. SP (Brasil). 2009.

“A Deriva”, Mostra SESC Santos Permanente Transitório: o espaço expandido. Santos, SP (Brasil). 2008.

“Entre mundos – diario de um Caraíba”, SESC Bertioga, SP (Brasil). En la programación permanente de la unidad desde abril del 2008 hasta fines del 2009.

“La culpa la tiene Niemeyer! – A última trilha de J.F.”, Mostra SESC de Artes Circulações. Ciudad de São Pablo, SP (Brasil). 2007.

“O caminho X”, Festival Internacional de Teatro FIT, São José do Rio Preto, SP (Brasil). 2007.
– “Operación 7.02” (Operação 7.02), Festival Internacional de Teatro MERCOSUR. Córdoba (Argentina). 2005.

 

DURAÇÃO: 60 min. aprox.

 

Imprensa